PUBLICAÇÕES LUTE COMO UMA GORDA! Por Malu Jimenez

Muita gente me pergunta, pede, especula sobre minha produção textual como consequência de minhas pesquisas no Doutorado em Estudos de Cultura Contemporânea na UFMT e, agora no Pós Doutorado em Psicossociologia na UFRJ sobre gordofobia. Então, resolvi deixar aqui a disposição de quem tiver interesse, quiser ler, consultar, divulgar, fiquem a vontade! Importante dizer queContinuar lendo “PUBLICAÇÕES LUTE COMO UMA GORDA! Por Malu Jimenez”

O DIA DA DEFESA Lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos

Foi ontem e eu já postei cositas sobre esse momento especial, mas ainda tem muita coisa pra dizer, porque essa história não se resume num post ou dois rsrsrsrs … Ela é imensa de gorda e eu vou inundar as redes, as ruas, os corações com minha pesquisa e suas reverberações! Ainda em êxtase, precisoContinuar lendo “O DIA DA DEFESA Lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos”

Chegou o grande dia! Defesa de TESE lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos.

Cheia de gratidão, alegria, esperança e luta que venho comunicar a vocês minha defesa da tese de doutorado do PPG Estudos de Cultura Contemporânea – ECCO na UFMT, orientada pela querida e imprescindível Prof.ª Dra. Juliana Abonizio, com a banca formada por mulheres especiais, das quais me orgulho muito por aceitarem fazer parte dessa pesquisaContinuar lendo “Chegou o grande dia! Defesa de TESE lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos.”

O corpo gordo feminino como resistência !

Para Denise Sant’anna (1995: 12), “o corpo é, ele próprio um processo. Resultado provisório das convergências entre técnica e sociedade, sentimentos e objetos, ele pertence menos à natureza do que à história.” Cada grupo social imprime expectativas em torno ao corpo. Para Foucault (1997: 127), em qualquer sociedade o corpo é um locus de poder,Continuar lendo “O corpo gordo feminino como resistência !”

PAPOS DE QUINTAL: Rodas de conversa sobre gordofobia. Chama a gente!

É com muita alegria, emoção e carinho que anunciamos nosso primeiro evento do Projeto lute como uma gorda, que ganhou nomeeee … Papos de quintal! Em pensar que, quando chegamos nesse formato, seria apenas um teste para observar como seria recebido nossa proposta de pensar sobre Gordofobia em diversos segmentos em nosso Estado. Nossa intuiçãoContinuar lendo “PAPOS DE QUINTAL: Rodas de conversa sobre gordofobia. Chama a gente!”

Como pode? Mulher gorda pode!

Há anos, já perdi a conta de quantos, venho experimentando uma exclusão sob a mirada vigilante e julgadora de pessoas dentro do meu convívio social. Um olhar diferenciado que me diz coisas, de repulsa, engano, reprovação, aversão, nojo, medo e muitos outros diversos sentimentos expressados, apenas com o afrontar através dos olhos e algumas vezesContinuar lendo “Como pode? Mulher gorda pode!”

MEU CORPO GORDO É POLÍTICO: RESISTE AOS PADRÕES DA BELEZA E SAÚDE.

Muitas mulheres mandam depoimentos por minhas redes “Estudos do Corpo Gordo Feminino”, perguntando como eu consegui ver meu corpo gordo grande, de outra maneira, que não fosse através do que as mídias capitalísticas vendem por beleza e saúde. Talvez não nessas palavras, mas se resumem a isso: Como eu consegui ou consigo ultrapassar a concepçãoContinuar lendo “MEU CORPO GORDO É POLÍTICO: RESISTE AOS PADRÕES DA BELEZA E SAÚDE.”

Mulheres Gordas numa sociedade lipofóbica, merecem a sororidade de todas, todos e todes.

O que é ser gorda numa sociedade lipofóbica? Já se perguntou isso? Já parou para pensar, o que é viver num corpo social que prega a magreza como felicidade, para uma mulher que não se encaixa nesse corpo endeusado no mundo contemporâneo? Se não, deveria, essa ação é a tal palavrinha mágica que está naContinuar lendo “Mulheres Gordas numa sociedade lipofóbica, merecem a sororidade de todas, todos e todes.”

Gordofobia Médica: A reprodução do Estigma Social

Estigma Social O termo estigma é um conceito bem antigo, os gregos criaram a palavra para se referirem a pessoas que possuíam sinais corporais, com os quais procuravam evidenciar algo diferente, extraordinário ou mau sobre o status moral daquele que sofria a avaliação de diferente. Os sinais eram feitos com cortes ou fogo no corpo,Continuar lendo “Gordofobia Médica: A reprodução do Estigma Social”

A importância do feminismo para o planeta.

O feminismo é amor. Já ouviu ou leu isso em algum lugar? Essa frase poderia ser considerada a melhor definição, bem sucinta, do que é e/ou significa esse movimento, essa luta. A maior preocupação do ativismo feminista, não importando sobre qual vertente, lugar ou comunidade dentro do feminismo, é o cuidado. Isso mesmo, o cuidarContinuar lendo “A importância do feminismo para o planeta.”