Dançando com a vida

Camila dança – arquivo pessoal

A criança gorda que sempre foi excluída

Que vivia sempre retraída

Cresceu com inseguranças ao seu redor

E um corpo menor desejava ter.

Tinha sonhos de colocar a vida para dançar

Mas ainda seu corpo nenhum lugar queria aceitar

Muitos a chamaram de louca

Porque, “Bailarina não pode ser gorda”.

Mas quem disse que nossas vidas e sonhos param de dançar?

Depois de uma queda a gente se levanta e continua a tentar

Porque bailarina pode ser gorda sim!

E nós sempre iremos conseguir!

Quero aqui salientar que a dança é palco para quem quiser entrar

Não tem cor, gênero e nem corpo

Basta vir de coração aberto, basta vir, dançar e ser feliz!


Texto de Camila Silva Beguetto

20 anos, graduanda de psicologia e reside na cidade de Ourinhos, interior de SP. Gorda menor, desde muito nova sofria com seu corpo, cresceu confusa em meio as suas curvas e buscou na escrita uma forma de refúgio dos padrões que tanto queriam a engolir. Hoje se desconstrói para construir novamente, está em busca de ajudar outras pessoas que passaram e passam por experiências semelhantes. IG insta: @sbcami

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: